qualidade dos alimentos

Porque contar calorias nem sempre é a melhor opção

Quem nunca fez uma dieta onde cada caloria é contada? Se as calorias são importantes em uma dieta? A resposta é sim. Porém a dieta não pode girar somente em torno delas, afinal cada indivíduo é único e tem suas necessidades e metas, além do mais, não são todos os organismo que funcionam da mesma maneira.

Mas o que pode afetar a dieta além das calorias?

Problemas hormonais

Os hormônios são imprescindíveis, uma vez que têm funções regulatórias importantes como: reprodução, crescimento, desenvolvimento, controle do peso corporal, entre outras. Por isso o ganho ou perda de peso pode ser afetada por eles de várias formas.

A leptina e a grelina por exemplo tem um papel direto quando o assunto é controle do peso corporal, já que a leptina que é produzida pelas células adiposas é responsável pelo controle da ingestão dos alimentos e também pelo controle de gasto energético e metabolismo de gorduras e da glicose. Enquanto a grelina que é produzida no estômago controla a sensação de saciedade e de fome. Por isso se esses hormônios estiverem em desequilíbrio pode ser mais difícil perder peso, além de poder causar um efeito sanfona.

A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas também desemprenha um papel importante no controle do peso, uma vez que ela controla a absorção de glicose pelas células. O excesso de insulina causa uma sensação exacerbada de fome mesmo quando bem alimentados. Além disso quando há muita insulina no sangue o corpo tende a acumular gordura (principalmente na barriga) já que ela estimula a produção de células adiposas.

O excesso de insulina ainda atrapalha a síntese de glucagon outro hormônio produzido pelo pâncreas, mas que tem função antagonista à insulina, estimula a queima de gordura.

Os homônios T3 (triodotironina) e T4 (tiroxina), produzidos pela tireoide também podem ter grande impacto no ganho e na perda de peso. Isso porque eles regulam desde batimentos cardíacos, funções cerebrais como a concentração, ciclos menstruais e fertilidade, queima de gordura, até o trânsito intestinal. Por isso quando esses hormônios estão em baixa o metabolismo fica mais lento, favorecendo o ganho de peso.

O cortisol (conhecido como hormônio do estresse) é produzido pelas glândulas suprarrenais. Este hormônio tem como função o controle de estresse, a redução de inflamações, auxiliar o funcionamento do sistema imunológico, manter dos níveis de açúcar no sangue e auxiliar na regulação da pressão arterial.

Porém quando o indivíduo se encontra em estresse constante, usa constantemente corticoides, ou está em privação de sono, o cortisol pode estar em alta por mais tempo que deveria na circulação sanguínea, e essa sensação de estresse contínuo sentida pelo organismo faz com que o mesmo faça reservas de gordura, principalmente na parte de traz das costas.

A progesterona, hormônio produzido nos ovários, é importante para o ciclo menstrual e reprodução, porém quando em desequilíbrio pode causar retenção de líquido, contribuindo assim para o aumento do peso.

Outro hormônio produzido pelos ovários é o estrogênio, ele também atua no ciclo menstrual e na reprodução. Porém como atua na manifestação das características femininas, tem papel importante na distribuição de gordura pelo corpo, quando se encontra em níveis baixos tende a formar um acúmulo de gordura na região abdominal e quando se encontra em níveis altos forma acúmulo de gordura nos quadris.

Dormir bem e manter uma rotina do sono saudável é algo muito importante para quem deseja perder peso. Isso porque a melatonina é o hormônio do sono que nos faz dormir de forma eficiente e esse sono eficiente é imprescindível para a produção de um hormônio muito importante: o GH, hormônio do crescimento. Produzido pela hipófise, esse hormônio tem uma importante função: estimular a transformação da gordura em energia, tudo isso contribui inclusive para a construção de massa magra, músculos. O pico da produção do GH é por volta das duas horas, por isso o sono correto é tão imprescindível.

O que pode ser feito em relação aos hormônios? Quando há uma dificuldade de emagrecer mesmo com uma dieta equilibrada é importante procurar um profissional da área da saúde para realizar exames, avaliar possíveis desequilíbrios hormonais e corrigi-los. Outro ponto que pode ser muito importante é fazer atividades físicas direcionadas, como: exercícios localizados e atividades físicas para aliviar o estresse, além de ter uma dieta com alimentos ricos em nutrientes que auxiliem na produção hormonal e equilíbrio como: ovos, castanhas, carnes, peixes, grãos integrais de baixo índice glicêmico e uma boa quantidade de vegetais.

Metabolismo

O metabolismo é diretamente afetado principalmente pelos hormônios citados acima, mas também é influenciado por outros fatores que podem melhorá-lo como:

– ingestão de fibras que auxiliam no transito intestinal;

– ingestão de água para estimular o bom funcionamento dos processos fisiológicos do corpo;

– atividades físicas que alteram a taxa metabólica;

– e alimentação consistente.

Qualidade da alimentação

Quando fazemos uma dieta ou reeducação alimentar é importante focar não apenas na quantidade de calorias mais na qualidade dos alimentos que você está ingerindo, isso porque embora dois alimentos possam ter a mesma quantidade de calorias não significa que tenham o mesmo valor nutricional.

Podemos usar como exemplo um belo e saudável prato de comida contendo de forma equilibrada, uma fonte de proteína (carne), uma fonte de fibras (vegetais) e uma fonte adequada de carboidrato, comparado a uma simples sobremesa de mesmo valor calórico.

Apesar de ambos conterem a mesma quantidade de calorias, NÃO, eles não têm o mesmo valor nutricional. Isso porque eles vão ter índices glicêmicos (velocidade com que os níveis de açúcar no sangue sobem após uma refeição) diferentes, por causa do tipo de carboidrato, pela presença de proteína e também de fibras. Além disso a refeição irá conter mais vitaminas e minerais e mais fibras que vão auxiliar o funcionamento do intestino e controle dos níveis de gordura.

Atividades físicas

Além de terem importante papel na disposição e no humor, as atividades físicas possuem um importante papel no emagrecimento. Elas alteram o metabolismo, acelerando o gasto energético. Além disso atividades como a musculação aumentam o gasto energético ao longo do dia, uma vez que o processo de construção muscular acontece gradualmente e demanda maior energia do que seria gasta no metabolismo basal, sem atividade física.

Saciedade

A saciedade é um critério importante na alimentação saudável, já que alguns alimentos embora possuam poucas calorias não mantém a saciedade por muito tempo e isso contribui para que o indivíduo coma mais vezes, de forma mais irregular e tenha mais dificuldade em fazer a dieta da forma correta.

Por isso é importante incluir em todas as refeições fontes de proteína (ovos, carnes, queijos…) em quantidade adequada, uma vez que as mesmas causam bem mais saciedade. Além disso incluir também alimentos ricos em nutrientes e fibras como: legumes, verduras e hortaliças também vai ajudar a prolongar a saciedade e fugir das famosas “beliscadas “ que podem comprometer a dieta.

Dificuldade em manter

Asdietas restritivas com toda certeza são um empecilho para quem quer ter consistencia na dieta e emagrecer de forma saudável e permanente. Isso porque elas porque elas podem causar uma sensação de fome constante, ansiedade e frustração.

Além disso elas podem não ser tão eficientes na perca de gordura e aumento de massa magra (músculos) e podem até ter impactos negativos no metabolismo, uma vez que o corpo pode entender que vai entrar num período de privação, reduzir o metabolismo e fazer com que o indivíduo não consiga emagrecer ou até engorde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.